Lula prevê aplicação de R$ 6 bi nas estradas ao ano

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu hoje no seu programa semanal de rádio, o Café com o Presidente, a operação de reforma das estradas brasileiras. "Estamos fazendo agora porque agora temos dinheiro para fazer. Vou repetir os números: em 2005 empenhamos R$ 6 bilhões e vamos outra vez empenhar R$ 6 bilhões em 2006. Se nós continuarmos colocando essa quantidade de dinheiro certamente, em poucos anos, teremos as estradas brasileiras todas consertadas e muitas estradas novas".Ele voltou a repetir que muitas estradas que haviam sido estadualizadas acabaram abandonadas, já que os governos estaduais recebiam os recursos e não aplicavam nas rodovias. Hoje Lula visita alguns trechos da duplicação da BR-101 Nordeste. "Essa obra é uma promessa feita para o Nordeste há muitos e muitos anos. É uma obra extremamente importante porque é um corredor turístico. O turista terá uma rodovia duplicada, moderna. Nós, na verdade, queríamos dar início nessa obra em março de 2005. Foi feita uma licitação, várias empresas ganharam, as que perderam entraram com recursos, ganharam liminares, e nós decidimos começar a obra dando um trecho para que o Exército brasileiro fizesse com seu batalhão de engenharia".Segundo presidente, o Exército foi convocado porque não era possível esperar "o fim da briga entre as empresas". A obra toda tem 336 quilômetros de extensão, e o Exército fará 142 quilômetros. "Essa obra vai custar R$ 1,5 bilhão e a parte do Exército vai ficar em R$ 520 milhões. E ele vai fazer trechos importantes na Paraíba, Pernambuco, e Rio Grande do Norte, enquanto nós vamos resolvendo o problema dos outros trechos das empresas que estão em disputa judicial. Se não resolver, nós vamos dar tudo para o Exército porque o que queremos é garantir que as pessoas tenham facilidade para transitar no nosso País".Ao comentar as críticas da oposição que classifica as obras como eleitoreiras, Lula respondeu: "Entre não fazer e ser criticado e fazer e ser criticado, eu prefiro fazer. Veja outra coisa, nós estamos fazendo e alguns estão dizendo que são obras eleitoreiras, mas se nós não fizéssemos continuariam sendo eleitoreiras para eles. Porque aí todos eles já estariam fotografando, filmando, para colocar em seus programas de televisão. Ora, entre a briga partidária e o povo, eu vou ficar com o povo", disse."Sabemos que o povo tem razão de reclamar, porque quando o cidadão sai com o caminhão, com uma carga, ele quer chegar inteiro, ele não quer chegar atrasado, ele não quer estourar pneu, ele não quer quebrar mola, eixo de caminhão. Com o carro a mesma coisa, o cidadão sai com sua família para passear, ele que chegar inteiro com a família, ele não quer ter acidente", afirmou. Segundo o presidente, além dessas emergências, é importante lembrar que depois de muitos anos e promessas, está sendo feita a BR-101 Sul, ligando Palhoça a Osório, que vai completar a ligação com a BR-116. " Isto garante que as cargas do Mercosul possam transitar com mais facilidade e, sobretudo, os passageiros, os turistas brasileiros que vão para a Argentina e o Uruguai. Os uruguaios e argentinos que vêm para o Brasil também vão poder transitar com muito mais facilidade".Lula lembrou ainda qie já foi terminada a BR-381, que liga Minas Gerais a São Paulo, que estava há 13 anos para ser concluída. "Concluímos a BR-116, faltando só a Serra do Cafezal que vai ser licitada agora para a empresa que vai administrar a estrada. Então, nós estamos fazendo, aquilo que é necessário e vital fazer nesse momento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.