Lula poderá passar mais uma noite em hospital

A assessoria de imprensa do Hospital Sírio-libanês informou hoje que não há previsão de alta médica do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que iniciou ontem o segundo ciclo de quimioterapia contra um câncer na laringe. O petista teria pedido para deixar o hospital, mas por conta dos efeitos colaterais da quimioterapia, a equipe médica não descarta a hipótese dele passar mais uma noite internado.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

22 de novembro de 2011 | 14h11

Na primeira sessão de quimioterapia, há duas semanas, o ex-presidente sentiu como efeitos colaterais fadiga, enjoo e perda de parte do paladar. A segunda etapa do tratamento costuma ser mais agressiva, o que gera efeitos colaterais mais fortes.

O ex-presidente recebe na tarde de hoje a visita do advogado e ex-deputado federal Sigmaringa Seixas. Ontem, visitaram o petista o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e Josué Gomes da Silva, filho do ex-vice-presidente da República José Alencar. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, informou que o ex-ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, também fez uma visita ao ex-presidente na tarde de ontem. O último boletim médico, divulgado na tarde de ontem pelo hospital, diz que a segunda sessão de quimioterapia ocorreu sem intercorrências e que Lula está bem.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulatratamentocâncer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.