Lula: Podem tirar o 'cavalo da chuva' porque farei sucessor

'Oposição pode tirar o cavalinho da chuva, porque vamos continuar governando o País', diz o presidente

Leonencio Nossa e Angela Lacerda, de O Estado de S.Paulo

26 de março de 2008 | 14h02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva   disse nesta quarta-feira, 26,  no bairro do Jordão, no Recife (PE), que fará o seu sucessor. Em um discurso inflamado, Lula atacou a oposição, que acusa o seu governo de usar irregularmente o  cartão corporativo. "A oposição pensa que vai eleger o sucessor. Pode tirar o cavalinho da chuva, porque nós vamos fazer a sucessão, para continuar governando este País", afirmou.   Veja também:   FHC diz que Lula deve seguir seu exemplo e divulgar gastos ENQUETE: A CPI dos Cartões deve quebrar sigilo de Lula e FHC?  Entenda a crise dos cartões corporativos   FHC quebra o próprio sigilo e tucanos pressionam CPI a abrir gasto de Lula   Ao lado da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, citada por três ministros, pelo prefeito de Recife e pelo governador de Pernambuco, em seus respectivos discursos, Lula ponderou que a eleição ainda está muito longe, mas que os adversários não vão atrapalhar o seu projeto de desenvolvimento. "Eles vão ter que lutar muito e trabalhar muito. Apenas fazendo discurso não vão nos derrotar, não", afirmou. "É preciso trabalhar mais do que nós e dizer ao povo o que fizeram antes de nós", acrescentou.   Lula voltou a dizer que é preciso comparar o governo dele com o anterior e avisou que até o final do seu mandato pretende voltar outras vezes a Pernambuco e visitar todos os estados brasileiros. "Meus adversários vão dizer: está em campanha, está em campanha. Eu não estou em campanha, porque nem posso concorrer". Lula disse que vai fazer ainda muitas viagens. "Se eles acham que eu vou ficar lá em Brasília ouvindo discursos, eles podem fazer quantos discursos quiserem, porque eu vou para a rua ouvir o discurso do povo, que eu ganho muito mais".   Dirigindo-se ao ex-deputado Severino Cavalcanti do PP, que estava na platéia e que teve que deixar a presidência da Câmara sob acusação de corrupção, Lula disse que foram as elites paulista e paranaense que o afastaram do poder. Em seguida, Lula disse que tinha muito respeito pelo deputado e que muitos políticos são hipócritas.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010Lulaoposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.