Ricardo Stuckert/Instituto Lula - 04.12.2011
Ricardo Stuckert/Instituto Lula - 04.12.2011

Lula pode desfilar ‘blindado’ na Gaviões

Ainda sem aval da equipe médica, escola planeja estrutura especial para tentar garantir participação do ex-presidente, em tratamento contra o câncer

Daiene Cardoso e Gustavo Uribe, da Agência Estado

10 de fevereiro de 2012 | 08h53

SÃO PAULO - Para garantir a presença de seu homenageado no sambódromo do Anhembi, a Gaviões da Fiel prepara um esquema especial para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poder desfilar. A escola, que entrará na avenida na madrugada de sábado, 18, pelo grupo especial de São Paulo, pretende colocar uma cobertura de acrílico no carro em que ele será destaque para que, em caso de chuva, Lula fique bem protegido.

Como o ex-presidente ainda não recebeu o aval da equipe médica para participar da homenagem, o carnavalesco Delmo Moraes apela para a intervenção de São Jorge, padroeiro do Corinthians e santo de devoção de Lula. "Eu rezei para São Jorge para que ele melhore, pule da cama e desfile, porque é isso o que ele quer", disse Delmo, que faz parte da Comissão de Carnaval formada por três carnavalescos.

Embora o Palácio do Planalto não confirme, por questões de segurança, a Gaviões revelou que a presidente Dilma Rousseff deve acompanhar o desfile do camarote da Prefeitura, no sambódromo. Os médicos não descartam totalmente a presença de Lula no sambódromo, mas são cautelosos em relação à sua condição física. No dia 17, véspera do desfile, o ex-presidente concluirá as 33 sessões de radioterapia contra um câncer na laringe.

Nas últimas semanas, o tratamento diário debilitou o ex-presidente, deixando-o com rouquidão e com incômodo na laringe, efeitos colaterais típicos deste tratamento. "Se o desfile fosse hoje, ele não participaria, pois ainda está debilitado por conta do tratamento", disse uma liderança do PT. "Mas se ele se sentir disposto, ele vai comparecer", acrescentou. Os médicos afirmam que a decisão só sairá na véspera do desfile. "É possível que ele desfile, mas só o tempo vai dizer", ressaltou um dos médicos.

A Gaviões da Fiel também preparou um esquema de segurança para deixar Lula longe do assédio do público e da imprensa. O ex-presidente deve aguardar no Campo de Marte e seguir de carro para a avenida momentos antes do início do desfile. "O esquema de segurança para ele será hollywoodiano", contou Delmo Moraes. Caso participe da homenagem, Lula desfilará, sem uma fantasia especial, no carro "Retrato de uma Nação Valente e Guerreira" com seus convidados, entre eles os jogadores do Corinthians, o ex-jogador Ronaldo Nazário, o lutador de MMA Anderson Silva, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), além da esposa Marisa Letícia e da filha Lurian Cordeiro Lula da Silva. A presença das autoridades, segundo auxiliares do ex-presidente, vai depender da ida do petista ao Anhembi.

Um cordão de isolamento acompanhará o carro até o final do desfile, impedindo assim a aproximação de populares e fotógrafos. "Essa homenagem será a mais esplendorosa", prevê Delmo. A agremiação conta com a presença de Lula, mas está ciente de que a decisão depende de liberação médica. Em última instância, os carnavalescos Igor Carneiro, Fabio Lima e Delmo Moraes estudam uma alternativa, que não seja uma escultura, para suprir a ausência de Lula. "Aí é um outro segredo", desconversou Delmo.

Escorpião. A escola corintiana passará pelo Anhembi com 3.900 componentes, divididos em 26 alas e cinco alegorias. Depois do abre-alas virá o carro "A despedida do gavião carcará e do escorpião por um mundo melhor", seguido do carro "Barca da cidadania em viagem ao coração do Brasil" e do quarto carro "A vitória da esperança contra o medo". Este último representa a chegada de Lula ao Palácio do Planalto e terá como destaque o ator Fábio Assunção representando o motorista do Rolls Royce presidencial. O último carro da escola, onde devem estar Lula e seus convidados, vem representado com casinhas coloridas estilizadas em cordel. Na bateria, o destaque será a madrinha Sabrina Sato, presença tradicional nos desfiles da Gaviões. A escola também deverá fazer uma homenagem ao ex-jogador Sócrates, morto em dezembro de 2011.

A agremiação estima um investimento entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões na homenagem a Lula, recurso que, segundo a escola, é proveniente apenas do repasse da Liga das Escolas de Samba de São Paulo e das vendas de fantasias e convites para as festas da Gaviões. O enredo dedicado a Lula aumentou a procura por fantasias na escola e atraiu a atenção da imprensa internacional, a ponto da Gaviões abrir suas portas para TVs da China, França, Itália e até a árabe Al-Jazira. "Ele é um ícone que ultrapassa o sentido político", disse Delmo.

Diferentemente do ano passado, quando a Gaviões doou mais de 1 mil fantasias para a comunidade, este ano só em seis alas as fantasias foram doadas. "Este ano as fantasias de algumas alas se esgotaram três meses antes", contou Delmo. No ano passado, a Gaviões homenageou a cidade de Dubai, no Emirados Árabes, mas o tema não empolgou tanto os componentes quanto o ex-presidente. "O corintiano se identificou com o enredo (Lula)", justificou. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical reservaram duas alas (que variam de 80 a 120 pessoas). Já os petistas compraram o pacote Ala Vip, que inclui fantasia, convite para festas, camiseta e adesivo do enredo, tudo a um custo de R$ 550.

Como os militantes e os sindicalistas não participaram dos ensaios, eles foram distribuídos pelas alas da escola para evitar que a falta de ensaio prejudique a evolução da Gaviões na avenida. O preço nas cinco alas em que ainda restam fantasias hoje é de R$ 450. Ainda há fantasias de destaque disponíveis, mas o preço é mais salgado: R$ 2.600, em média.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulasaúdedesfilegaviões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.