Lula pede votos para Mercadante e Alckmin ignora Serra

No último dia do horário gratuito eleitoral para a disputa pelo governo de São Paulo, o programa de Aloizio Mercadante (PT) exibiu imagens tanto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva como da candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT), que pediram votos para o petista. Já o programa de Geraldo Alckmin (PSDB) não mostrou imagens do candidato tucano à Presidência da República, José Serra.

AE, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 14h38

No programa de Mercadante, foram exibidas imagens do comício de encerramento da campanha do PT ocorrido na segunda-feira, em São Paulo, com Lula e Dilma. "Eu acho que agora está na hora de colocar uma estrela para o governo do Estado de São Paulo", pediu Lula, durante o comício. Ao longo do programa, um locutor reafirmou diversas vezes que "quem vota Dilma, vota Mercadante".

Já o programa de Alckmin mostrou didaticamente como votar na urna eletrônica. Em seguida, uma série de obras das administrações Alckmin e Serra no governo paulista foram apresentadas, com a promessa de continuidade, caso o tucano seja eleito. Foram exibidos o restaurante Bom Prato, o programa Dose Certa, que distribui remédios gratuitamente, e escolas e faculdades de tecnologia. O programa mostrou ainda uma jovem eleitora de 16 anos que votará em Alckmin.

Celso Russomanno (PP) exibiu imagens de um jovem que teria deixado de consumir crack após ter recebido "ajuda" do candidato. O programa mostrou imagens de 24 de agosto, quando ele ainda era viciado e estava nas ruas. Em seguida, mostrou o jovem com a família já em tratamento. "Eu, quando prometo, cumpro, mas preciso do seu voto", disse.

Chance

O candidato Paulo Skaf (PSB) voltou a apresentar um programa em que diz que o eleitorado de São Paulo não está contente e quer mudar. "Eu sou um cara experiente e respeitado e já fiz muita coisa importante na minha vida", disse, pedindo "uma chance" para o eleitorado. O candidato do PV, Fabio Feldmann, usou o último programa do horário gratuito eleitoral para defender a realização de um plebiscito que aprove ou não a exploração de petróleo na camada de pré-sal.

Na inserção de Paulo Bufalo (PSOL), o candidato à Presidência da legenda, Plínio de Arruda Sampaio, pediu votos para os candidatos do partido de esquerda, frisando a necessidade da pluralidade eleitoral. "Sem esse partido, a democracia perde um lado", afirmou. Nos programas do PCO, PSTU e do PCB, a tônica foi a mesma, com pedidos para que o eleitor vote na legenda.

Senado Federal

No horário reservado aos candidatos que disputam o Senado, Netinho (PCdoB) disse que está sendo atacado pelos adversários nesta reta final de campanha. E, ao pedir o voto do eleitor, afirmou: "A melhor resposta para esses ataques quem vai dar é você."

Já no programa de Marta Suplicy (PT) foram exibidas imagens do comício de encerramento da campanha em São Paulo. Tanto Lula como Dilma pediram votos para ela. Dois dos três filhos de Marta, Supla e João, que são músicos, gravaram um jingle em que ensinam o eleitor a usar a urna para votar na candidata.

No programa de encerramento de Aloysio Nunes (PSDB), foram exibidas imagens do candidato com Serra e Alckmin. O tucano afirmou que "não propôs nada que não possa fazer no Senado Federal". Ao citar líderes históricos do partido, como Ulysses Guimarães e Mário Covas (ambos mortos), afirmou que eles já se foram, mas o compromisso que tinham continua inalterado: "Lutar pela liberdade, pela Constituição e por mais igualdade para todos os brasileiros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.