Lula pede votação da reforma tributária ainda este ano

No rádio, presidente ressalta que governo compensará perda de Estados

Leonencio Nossa e Vera Rosa, O Estadao de S.Paulo

04 de março de 2008 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez ontem um apelo ao Congresso para votar, ainda neste ano, a reforma tributária. Em entrevista no seu programa semanal de rádio, Café com o Presidente, Lula reagiu às primeiras críticas à proposta. "Sabemos que a política tributária nunca vai atender aos interesses específicos de cada segmento da sociedade ou de cada pessoa", disse. "Nós precisamos pensar no Brasil, ter uma política tributária correta e justa."Lula assegurou que o governo dará compensações para Estados que tenham perda de receita com a reforma. "Se algum Estado tiver prejuízo, temos tempo de fazer um ajuste com políticas de compensação, até esse Estado encontrar o equilíbrio da arrecadação."Ele ressaltou que o texto foi discutido com oposição, empresários e sindicalistas. "É uma proposta acertada com os líderes de todos os partidos, inclusive da oposição. Tem por objetivo simplificar a arrecadação, a forma de as pessoas pagarem e fazer com que os Estados possam ter uma política tributária justa", disse. "Convoquei os empresários e trabalhadores para que, junto com os líderes no Congresso, convençam as pessoas de que o importante é votar o mais rapidamente possível. Espero que o Congresso vote este ano, para que a gente possa ter uma política tributária séria."Depois das críticas ao Judiciário na semana passada, Lula voltou a defender o projeto Territórios da Cidadania, que prevê investimentos em áreas pobres do País. "Não conheço proposta com a magnitude do Territórios da Cidadania."À noite, ele se reuniu com deputados do PT e cobrou apoio para aprovar a reforma tributária e o Orçamento. Também manifestou preocupação com o fato de o Congresso discutir restrições às medidas provisórias e disse que não é possível administrar o País sem esse recurso."A conversa com o presidente foi muito boa", afirmou depois o líder da bancada, Maurício Rands (PE). "O presidente quer que votemos o Orçamento o mais rápido possível para não atrasar as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.