Lula pede unidade de companheiros do governo

Menos de 24 horas depois de o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciar a sua candidatura à Presidência da República, pelo PSDB, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu a unidade dos "companheiros" do governo, como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). "Em muitos anos de batalha, às vezes temos pontos de vista diferentes. Mas as nossas diferenças a gente sabe diferenciar", disse o presidente. "A gente sabe quem é o adversário comum, quem a gente quer vencer e o que queremos construir", acrescentou Lula, em discurso durante o lançamento da pedra fundamental do campus na Universidade Federal de Sergipe, em Itabaiana, cerca de 50 quilômetros de Aracaju. Participaram da cerimônia cerca de 2 mil pessoas participaram, sendo boa parte do MST, que carregavam faixas pedindo agilidade no assentamento de famílias no Estado. Ainda em seu discurso, Lula voltou a lembrar de sua origem nordestina e da prioridade que o governo dá ao Nordeste. "Ou nós arrumamos o Nordeste, ou outras pessoas não vão querer arrumar o Nordeste", afirmou, sem citar diretamente seu adversário paulista, Geraldo Alckmin.Lula disse que espera ser julgado apenas quando encerrar o seu mandato, para comparar o que ele fez e o que seus antecessores fizeram. O presidente segue agora para Aracaju, onde almoçará com políticos. Em seguida, participará da inauguração de dois conjuntos habitacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.