Lula pede respeito aos poderes da República

Presidente defende de forma indireta os programas sociais que tinham sido considerados eleitoreiros

LEONÊNCIO NOSSA, Agencia Estado

04 de março de 2008 | 19h00

Cinco dias depois de reclamar em praça pública da Justiça, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a cobrar, desta vez no plenário do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o respeito aos poderes da República. "Se por um lado a ampla discussão constrói a Democracia, por outro, a eventual ingerência de um poder sobre o outro compromete a gestão e o atendimento do poder público", afirmou. Em discurso na abertura do 14º Cúpula Judicial Ibero-Americana, Lula avaliou como natural o "diálogo e controvérsias nas esferas de poder".   Veja Também:   Em ano eleitoral, Lula lança programa social de R$ 11,3 bi Veja os principais programas sociais do governo Lula Tarso defende declarações de Lula sobre ministros do STF Crítica de ministro do STF é 'inadmissível', diz Rands Lula se irrita e critica ministros do STF O presidente voltou a falar em independência dos poderes e defendeu de forma indireta os programas sociais do governo que tinham sido considerados eleitoreiros pelo ministro do STF, e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Marco Aurélio Mello. "A independência e a imparcialidade são essenciais para o controle, o aperfeiçoamento e a impessoalidade das políticas públicas", disse. Sobre a crise com o Judiciário, Lula falou que "nunca teve em guerra". "Vocês lembram que na campanha meu lema era paz e amor", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.