Lula pede que os brasileiros tenham a paciência das mulheres

Na abertura da 1ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu que o povo brasileiro tenha a mesma paciência que as mulheres para esperar os resultados de seu governo. "Quero dizer para vocês que muitas coisas não podem ser feitas em 18 meses, nem em quatro anos e nem em muitos anos. O importante é que nós estamos dando passos, por menores que sejam", afirmou o presidente. Em 25 minutos de discurso, Lula disse que está tentando construir as bases para o crescimento do País. Ele elogiou a coragem das mulheres na luta pela democracia e anunciou a criação de mais um grupo de trabalho em seu governo, desta vez para estabelecer o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. "O plano vai ser um grande salto de qualidade para tornar mais eficaz a política de gênero em todos os ministérios", disse o presidente. Ele citou pesquisa do IBGE que afirma que 15 milhões de lares no Brasil são chefiados por mulheres e que, de um total de 10 lares, apenas em um as mulheres contam com a ajuda dos maridos para o sustento da família. Ele citou também pesquisa de 2001, da Fundação Perseu Abramo, ligada ao PT, que considerou alarmante: uma em cada três brasileiras já sofreu violência física e na grande maioria dos casos o agressor estava dentro de casa. "Desde que assumi estou me empenhando para mudar esta situação", disse o presidente. Ele citou como avanço uma lei que obriga a unidade de saúde pública ou privada a notificar casos de violência contra a mulher. Segundo ele essa lei só não foi publicada ainda porque teve alguns erros e está na Casa Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.