Lula pede que empresários continuem investindo apesar de eleições

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conclamou hoje empresários do setor de construção civil para que não deixem a economia sofrer abalos este ano por causa do período eleitoral. Segundo o presidente, num ano com eleições, em vez de o País manter a caminhada para frente, anda para trás porque não pode realizar novos investimentos faltando seis meses para o pleito."Não podemos permitir, por qualquer que seja a temperatura do processo eleitoral, e sempre é quente, que se mexa ou crie qualquer embaraço da economia brasileira, no setor produtivo, e na geração de riqueza deste País", afirmou o presidente, durante a abertura da Feira Internacional da Indústria da Construção (Feicon)."Vocês estão lembrados que não foi fácil chegar aonde nós chegamos e vocês já viveram muitas experiências na história do Brasil, nas décadas de 60, 70, 80 e 90, e vocês estão vivendo outra experiência agora, porque nós optamos por não fazer mágica na economia e não colocamos um Mandrake para dirigir a economia brasileira", acrescentou o presidente, ao dizer ainda que as decisões tomadas no campo econômico se propõem a pensar no País num prazo de 15 a 20 anos.Benefícios para construção civilLula informou que o governo destinará R$ 19 bilhões para financiar moradias para a população de baixa renda e classe média, sendo que R$ 1 bilhão se destinará para eliminar palafitas do País. Segundo ele, um projeto bem sucedido no setor de construção foi o desenvolvido pelo Senai para a construção de moradias populares, ao custo unitário de R$ 17 mil, já inclusa a mão-de-obra. "Não é porque o cara é o pobre que tem que ter uma casinha muito humilde", disse o presidente, ao elogiar o projeto de Senai, dizendo que a casa desenvolvida era bonita e parecia ser de campo.Outros investimentos no setor de construção, destacados por Lula, foram as expansões de aeroportos e recuperação de rodovias. "De janeiro até agora, já realizamos 43% das coisas que nos comprometemos a fazer", disse. Segundo ele, caso a aprovação do Orçamento pelo Congresso nacional e somando-se os restos a pagar do ano passado, o governo federal investirá R$ 9 bilhões em rodovias este ano.Tratando ainda do setor de construção, Lula lembrou que o governo reduziu as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos produtos da cesta básica da construção; e diminuiu o Imposto de Renda cobrado sobre alienação o de imóveis; entre outras medidas de desoneração. Isso porque, explicou o presidente, o lado produtivo venceu o lado monetário do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.