Lula pede que disputas locais não atrapalhem alianças

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu hoje em discurso no Porto de Vitória (ES) as alianças do governo com outros partidos. Ele ficou constrangido em ver o deputado Magno Malta (PL-ES) ser vaiado pela platéia, durante a cerimônia, e pediu a compreensão "dos companheiros" com aliados do Planalto. "Eu gostaria de pedir, de coração, a vocês. Sei das pendengas políticas no Estado e na cidade. Mas é preciso saber que estamos entrando em num ano delicado", disse Lula, referindo-se às eleições de outubro. "Eu preciso de 40 votos no Senado e só tenho 40 senadores. E só tenho 100 deputados e preciso de 240", ressaltou Lula, em referência ao bloco parlamentar formado por partidos aliados nas duas Casas. "Só queria que as disputas locais não atrapalhassem as alianças nacionais". "Com uma mão a gente lava a outra e com as duas toma banho, se for o caso", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.