Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Lula pede pressa na liberação de recursos atrasados

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje aos seus ministros para que apressem a liberação de recursos para programas que já foram anunciados, mas que sofreram atrasos por causa da burocracia. Em reunião com eles e com líderes da base aliada do governo, o presidente reforçou a orientação para que se empenhem pela aprovação das reformas previdenciária e tributária no Congresso e para que contribuam para melhor divulgação das ações do governo na sociedade.Quem mais gastou e quem menos gastou em investimento até agora (valores liquidados até 30 de maio)Quem mais investiuEm R$% do orçadoFazenda3.924.4986,11Ciência e Tecnologia11.936.1585,8Relações Exteriores617.5333,68Indústria e Comércio3.651.1233,45Educação20.729.7053,34Quem menos investiuEm R$% do orçadoDesenvolvimento Agrário3.4250,001Trabalho10.7430,04Esporte88.7500,04Assistência Social75.6010,05Turismo111.7610,05Cultura40.7330,06Integração Nacional1.630.8750,09Transportes7.615.9550,24Fonte: SIAFI/STN (Tesouro Nacional) Elaboração: Consultoria de Orçamento do CongressoSegundo relato de um dos participantes, na reunião Lula reclamou da divulgação deficiente das realizações do governo. Chegou a enumerar 13 ações importantes nos cinco meses de sua gestão que, no seu entender, poderiam ter obtido maior repercussão se melhor divulgadas. Citou, por exemplo, a liberação de dinheiro para habitação e saneamento pela Caixa Econômica Federal; empréstimos do BNDES; programas de turismo e pesca e liberação de recursos para a agricultura.Controle da economiaAo avaliarem os primeiros cinco meses de governo, os participantes da reunião chegaram à conclusão de que foram vencidos dois desafios importantes: a retomada do controle da economia e a formação de uma base parlamentar sólida no Congresso. Segundo um dos participantes, o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, afirmou que o governo reverteu indicadores negativos, e mostrou dados comparativos de governos anteriores sobre nível de emprego e salário, observando que a situação agora está melhor que no governo anterior. Também mostrou que o governo vem conseguindo alongar a dívida, com prazos maiores e juros menores, e afirmou que as medidas que o governo adotou preparam terreno para a situação melhorar. Da reunião participaram os ministros da Casa Civil, José Dirceu; do Planejamento, Guido Mantega; da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci, e da Fazenda, Antônio Palocci. Também estiveram presentes o presidente do PT, José Genoino, e os líderes do governo no Congresso, senador Amir Lando (RO), e do governo na Câmara e no Senado, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e senador Aloizio Mercadante (PT-SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.