Lula pede paciência para governo efetuar reforma agrária

Ao participar do I Encontro Nacional da Agricultura Familiar, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que ainda não fez a reforma agrária que gostaria e mais uma vez pediu paciência. "Vocês sabem o quanto demora entre plantar e colher", afirmou. "Governar é a mesma coisa", disse Lula. O presidente reiterou que o governo está estudando a criação do "Pacote da Cidadania" para incentivar os mais jovens a permanecer no campo. "Não será com discurso que convenceremos a juventude a ficar no campo", afirmou.Na lista das medidas anunciadas para o Pacote da Cidadania, Lula citou a criação de linhas de crédito para financiar a safra. "A verdade é que durante muito tempo os nossos bancos foram desaprendendo como fazer financiamento para os pequenos", comentou. Para uma platéia formada por cerca de 1.500 agricultores, o presidente pediu a eles que denunciem dificuldades enfrentadas para obter financiamento. "Na hora em que vocês chegarem ao banco e forem maltratados, reclamem, pois alguém tem de saber e assim é mais fácil consertar o erro", disse durante o encontro que está acontecendo no Pavilhão de Exposição, do Parque da Cidade, em Brasília. Extremamente à vontade, Lula manifestou o desejo de transformar o Brasil "no País mais cooperativo do mundo". O presidente destacou a importância de os agricultores se organizarem em cooperativas mas ressaltou que o governo não pode interferir neste assunto. "Isso só dará certo com a vontade de vocês. Se a cooperativa for criada de cima para baixo, não dá", argumentou o presidente, que foi aplaudido oito vezes pela platéia. Antes do discurso, Lula ganhou uma cesta cheia de produtos fabricados por camponeses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.