Lula pede avaliação para realizar duas cerimônias de posse

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recomendou à sua assessoria que avalie a possibilidade de fazer duas cerimônias de posse para seu segundo mandato. Segundo fonte, uma cerimônia seria formal, no dia primeiro de janeiro, conforme determina a Constituição, sem festas. A outra seria festiva, em data diferente, possivelmente dia 8 de janeiro, e teria um caráter mais popular.A realização de duas cerimônias de posse teria como objetivo permitir a participação na festa em uma data diferente do dia 1º de janeiro, que é feriado mundial. A mudança na data da festa da posse permitiria também uma maior participação de chefes de Estado de outros Países. A data da cerimônia poderia, inclusive, coincidir com a reunião de chefes de Estado do Mercosul, que está marcada para 8 de janeiro, em Brasília.A Constituição de 1988 determinou que o mandato do presidente da República seria de 5 anos e que a posse ocorreria no dia 15 de março, para o primeiro que fosse eleito (no caso, Fernando Collor de Mello), e primeiro de janeiro para os demais. O Congresso Revisor de 1993 votou pouquíssimas emendas constitucionais, por causa do chamado escândalo dos anões do Orçamento. Mas uma das emendas aprovadas por ele reduziu o mandato do presidente para quatro anos. A data da posse em 1º de janeiro foi mantida. Posteriormente, a emenda que instituiu a reeleição também manteve a data da posse. Lula é a favor da volta dos cinco anos para presidente e de uma posse fora do primeiro dia do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.