Lula: parte da imprensa foi injusta com Gushiken

Em seu discurso no evento do PT que acontece na manhã deste sábado, 14, na quadro do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez uma homenagem ao amigo e ex-ministro Luiz Gushiken, que morreu nesta sexta-feira à noite em São Paulo, após longo tratamento contra um câncer. Lula também fez fortes críticas à imprensa, que segundo ele, teria sido injusta com o dirigente petista. "Gushiken foi uma das vítimas das mentiras de uma parte da imprensa desse país. Sei o que ele sofreu com as infâmias irresponsáveis", disse emocionado.

PEDRO VENCESLAU, Agência Estado

14 de setembro de 2013 | 12h45

Gushiken foi denunciado com outros líderes petistas no processo do mensalão em 2005. Acusado de peculato, o próprio procurador-geral Roberto Gurgel pediu sua exclusão do processo - e o Supremo Tribunal Federal o tirou da lista de réus em 2012.

"A imprensa que o perseguiu devia ter vergonha na cara e publicar uma manchete pedindo desculpas quando ele foi inocentado. O jornalista canalha que o acusou devia pedir desculpas", afirmou no evento. Lula contou que foi visitar Gushiken recentemente no hospital e que ficou muito impressionado. "Vi esse companheiro definhando. Nunca vi uma pessoa definhando em vida como ele", disse.

O discurso do presidente foi abreviado pelo velório de Luiz Gushiken, que acontece desde as 7h no cemitério do Redentor, na Zona Oeste de São Paulo. O ex-presidente Lula, acompanhado de alguns ministros do governo Dilma Rousseff já estão de saída do evento do PT, no centro, e seguirão para o cemitério onde o corpo de Gushiken será sepultado às 16h.

Mais conteúdo sobre:
Luiz GushikenmortePTLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.