Lula ouve críticas de empresários de comunicação sobre Conselho de Jornalismo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na noite desta terça-feira uma dura crítica dos empresários do setor de comunicações à proposta de criação do Conselho Federal de Jornalismo. Ao participar da comemoração do aniversário de 25 anos da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e da posse da nova diretoria, os discursos condenaram a proposta encaminhada pelo governo ao Congresso, além de rejeitarem a tentativa de cercear o poder do Ministério Público e de censurar o funcionalismo público. O presidente Lula ouviu calado os ataques dos empresários Francisco Mesquita Neto (Grupo Estado) e de Nelson Pacheco Sirotsky (Zero Hora), ex e atual presidente da associação. Ao discursar, Lula não mencionou o Conselho Federal de Jornalismo, mas assegurou o compromisso pessoal com a garantia da liberdade de informação.Ele foi aplaudido quando disse que o governo, os jornais, assim como a sociedade, cometem, às vezes, "erros e distorções". Ao lembrar dos anos de ditadura, quando a censura calou a imprensa, Lula disse "que isso não voltará a ocorrer no País, e muito menos de forma dissimulada. Não do que depender da minha vontade". Lula ponderou, no entanto, que numa sociedade democrática, quanto mais poder se tem, maior deve ser a responsabilidade de quem o exerce.Mesquita Neto, que presidiu a ANJ, que reúne 126 empresas que editam 529 jornais e respondem por 90% da circulação diária do País, disse ser "impossível falar em liberdade" e ao mesmo tempo discutir a regulamentação do Conselho. "A liberdade de informação constitui um direito inalienável e indiscutível do ser humano", afirmou. Sirotsky, que tomou posse como 10º presidente da ANJ, disse que compreendia a presença de Lula ao evento como "uma reafirmação do seu posicionamento histórico na defesa da democracia e da liberdade". Ele anunciou a disposição da ANJ de discutir com seus associados e com a sociedade a auto-regulamentação do setor, com a fixação de normas e princípios éticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.