Lula ouve críticas de dissidência do MST

Ao visitar o assentamento Nova Santo Inácio Ranchinho, em Campo Florido, a 87 km de Uberaba, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu várias críticas de militantes do Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL), uma dissidência do MST. Eles protestaram contra a continuidade da política econômica do governo Fernando Henrique Cardoso na gestão Lula. Criticaram também o "elevadíssimo superávit primário para pagar os juros da dívida".Os manifestantes protestaram demora na aprovação do prometido Plano Nacional de Reforma Agrária e pelo fato de, segundo eles, o governo Lula ter estabelecido metas de reforma agrária aquém das apresentadas pelo governo Fernando Henrique. Na página do movimento na internet (http://www.mtl.org.br/) uma "Carta Aberta ao Presidente Lula" publicada hoje faz várias críticas ao governo do PT. O MLT prega o "socialismo com liberdade no campo e na cidade" e demonstra apoio à criação de novo partido de esquerda.Em resposta, o presidente, vestindo o boné do movimento, pediu paciência aos assentados. "A revolução com que vocês sonham não acontece como num passe de mágica", disse. Segundo ele, quando se está no governo, começa a perceber que não se está sozinho, mas que há obstáculos pela frente. "Farei o que tem que ser feito, mas não com pressa descabida", disse. "Vocês podem até perder a paciência, mas, por favor, nunca percam a esperança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.