Lula nega que governo não queira fazer reforma tributária

Ao defender a proposta de reforma tributária, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou que não haja interesse do governo em aprovar as mudanças. "Esse negócio de ficar dizendo que o governo não faz a reforma tributária ... Se o governo pudesse faria por decreto", afirmou. E completou: "Como não pode, temos de mandar para as instâncias democráticas aprovarem".Ao descer a escada do terceiro para o segundo andar do Palácio do Planalto para participar de reunião com empresários para discutir a reforma tributária, Lula disse que, apesar do processo de eleitoral nos municípios, a proposta pode ser aprovada neste ano. "Nós temos um ano político. Vocês conhecem o Congresso e sabem que a partir de junho está todo mundo na rua fazendo campanha. O ideal é que se a reforma tributária merece a pressa que todo mundo diz que merece, eu penso que eles poderão discutir e votar este ano ainda", afirmou.Lula ressaltou que a proposta de reforma tributária que deve ser encaminhada ao Congresso não é um projeto apenas do governo mas uma necessidade da sociedade. "Não é um projeto de governo. É feito com muitas mãos e cabeças", disse. Na sua avaliação, as divergências em relação a pontos específicos da reforma poderão ser superados no debate no Congresso. "É uma outra chance que o Brasil tem de provar ao mundo que quer ou não uma reforma tributária", destacou, referindo-se a outras propostas já discutidas no Congresso que não deram certo.O presidente comentou também sobre as dificuldades dos Estados em aprovarem a proposta. "Não é pouca coisa diminuir 27% legislações de ICMS e fazer uma só para o Brasil", disse. O presidente avaliou que após um amplo debate com o movimento sindical, empresários e governo, será possível uma reforma que acabe com a "guerra fiscal e dote o Brasil de uma política tributária que faça mais justiça social e todos possam ganhar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.