Lula nega que câncer possa fortalecer Dilma para 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou hoje fazer qualquer associação da doença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, com o possível fortalecimento política dela. Após encontro com o presidente peruano, Alan García, em Rio Branco (AC), Lula foi questionado sobre os comentários feitos por alguns ministros do governo de que Dilma sairia fortalecida para uma possível candidatura à Presidência em 2010 depois do tratamento do câncer. "Eu sinceramente não posso imaginar como é que alguém sai fortalecida porque teve um câncer. Eu só estou desejando a recuperação da Dilma. Ela certamente não tem nada mais. O câncer já foi tirado. É só um tratamento preventivo graças a Deus."

LISANDRA PARAGUASSÚ, Agencia Estado

28 de abril de 2009 | 18h37

No sábado, Dilma, de 61 anos, informou que está fazendo quimioterapia como parte do tratamento contra as consequências de um linfoma, câncer no sistema linfático, detectado há poucas semanas na axila esquerda. O tumor de 2,5 centímetros, em estágio inicial segundo os médicos, foi retirado em cirurgia de 45 minutos no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O linfoma foi detectado quando a ministra se submeteu a check-up das condições de saúde no próprio hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.