Lula não vai a solenidade e a platéia irritada vaia Berzoini

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, sofreu hoje o constrangimento de ser vaiado numa solenidade promovida pela sua pasta. O motivo foi a ausência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que era aguardado por cerca de duas mil pessoas na abertura do 1º Encontro Nacional de Empreendimentos de Economia Solidária. Com muitos compromissos na agenda, o presidente não pode comparecer. A notícia foi dada aos participantes pouco antes da fala do ministro, o que gerou as vaias. No final do rápido discurso de Berzoini, a insatisfação da platéia voltou e ele por pouco não conseguiu concluir o pronunciamento. Na saída, o ministro elogiou a iniciativa das empresas do setor siderúrgico, que divulgaram uma carta compromisso de combate ao trabalho escravo. A iniciativa, segundo o ministro, é a primeira feita dessa forma. O problema do trabalho escravo no setor siderúrgico está localizado na preparação do carvão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.