Lula não comenta depoimentos de Palocci e ex-assessores

Em discursos na Bahia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não falou diretamente sobre as diferentes versões apresentadas pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e ex-assessores nos depoimentos prestados na Polícia Federal sobre o caso da quebra de sigilo do caseiro Francenildo Santos Costa. Lula, no entanto, reclamou de pessoas que jogam a culpa nas outras, sem citar nomes ou casos. "Todos vamos encontrando alguém para que possamos culpar por alguma coisa que não aconteceu no momento que deveria acontecer", afirmou.Em outra frase do discurso, sem dar referências, ele reclamou das relações entre homens públicos e das cobranças que um presidente recebe de setores diversos. "Estamos vivendo um momento em que a responsabilidade não é do Presidente da República apenas, do governador apenas, do prefeito apenas", disse. "É uma responsabilidade coletiva, para que possamos traçar juntos o tipo de País que queremos nos próximos 30 anos", completou. "Não basta o empresário se queixar do governo, o governo se queixar do Papa, o prefeito do governador e o governador do presidente."Dirigindo-se aos empregados da fábrica, ele lembrou da época em que era metalúrgico no ABC paulista. "Fico imaginando que futuro estará reservado a nós nos próximos 20 ou 30 anos", disse. "Somos muito mais exigidos do que fomos em qualquer época da existência humana."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.