Lula ''nacionaliza'' briga em Natal e irrita aliados

Partidos se dividiram com apoio do presidente a petista

Cida Fontes, O Estadao de S.Paulo

20 de setembro de 2008 | 00h00

Ao assumir de forma ostensiva a campanha da candidata do PT à Prefeitura de Natal, Fátima Bezerra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nacionalizou a campanha, comprou uma briga com aliados e rachou os partidos de sua base política no Rio Grande do Norte. "O presidente tem todo o direito de apoiar quem quiser, mas só espero que ele tenha senso de discernimento para participar da campanha como cidadão, não como presidente da República ou do PT", reagiu a candidata do PV, deputada estadual Micarla de Sousa, que lidera as pesquisas.Enquanto Lula patrocinava a aliança entre os contrários da política potiguar - PT, PMDB e PSB -, Micarla se associava ao DEM, que faz oposição cerrada a Lula no plano nacional. Sua campanha é sustentada por cinco partidos da base aliada (PV, PTB, PR, PP, PMN). Irritados, os deputados federais cobraram uma interferência do ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, do PTB. Foi em vão, a aliança se consolidou e Micarla ficou isolada. Lula, por sua vez, se transformou no maior garoto-propaganda de Fátima. Ontem, por exemplo, com ataques ao PSDB e ao DEM, Lula participou de comício da petista. "Esta lição vamos dar neles em 2010", bradou, ao manifestar sua ira particular ao líder do DEM, senador José Agripino (RN), que está à frente da campanha de Micarla. "Vamos fazer um ajuste de contas aqui em Natal e virei aqui quantas vezes precisar para derrubar quem faz o jogo sujo da política nacional", afirmou. Lula acusou o DEM de ter transformado sua vida em inferno no primeiro mandato. "Este cidadão que coordena a campanha da adversária fez mais que oposição durante seis anos e achincalhou minha administração." O presidente estendeu suas críticas a Micarla e ironizou o fato de ser rica e cuidar da aparência. "Não basta ter televisão para ganhar eleição, é preciso ter caráter e honradez. Se beleza ganhasse eleição eu não passaria do segundo colocado." Dos oito deputados federais do Rio Grande do Norte, seis são integrantes da base aliada e três não apóiam Fátima, mas Micarla. A presença forte de ministros do PMDB e do PT em Natal para reforçar a petista não agradou aos aliados de Micarla. A candidata do PV tem popularidade em Natal e sabe usar a comunicação - herdou de seu pai a TV Ponta Negra, repetidora do SBT. "Lula veio a Natal contrariando suas próprias palavras", atacou ela, ao destacar a promessa que fez aos aliados: ficar fora da campanha onde a base não estivesse unida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.