Lula mostra mais uma vez confiança na aprovação da CPMF

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva voltou a afirmar nesta segunda-feira que está confiantena aprovação da proposta de prorrogação da CPMF, que deve servotada no plenário do Senado na terça-feira. Durante programasemanal de rádio, Lula disse que o governo continua disposto anegociar com a oposição para garantir a cobrança do imposto docheque até 2011. "Eu acredito que ela será aprovada pelo Senado por duasrazões. Primeiro porque eu acho que o senadores sãoresponsáveis... e também porque eu acho que tem momento em quea gente faz debate, tem momento em que a gente discute, temmomento em que a gente faz oposição, mas tem um momento em quea gente vai votar", afirmou Lula durante o programa "Café com oPresidente". O governo vem enfrentado forte oposição dentro do Senado emrelação à proposta que prorroga a vigência do imposto docheque, tributo que garante cerca de 40 bilhões de reais ao anopara os cofres públicos. Senadores do DEM e do PSDB são os mais resistentes àproposta de prorrogação da CPMF, mesmo considerando asconcessões já feitas pelo governo para garantir a continuidadeda contribuição, como a redução gradual da alíquota do tributo--atualmente em 0,38 por cento-- e a isenção da cobrança paraquem ganha até 2.894 reais por mês. Apesar da confiança, Lula afirmou que a disposição de votara proposta na terça-feira não significa que o governo vai "parao tudo ou nada". "O governo está disposto a conversar... se alguém tiverproposta nova, que a faça, o governo vai estudar cada umadessas propostas. O que é importante é que esse imposto tem queser votado tal como ele foi aprovado na Câmara", disse Lula. A proposta de prorrogação da CPMF precisar ser aprovada emdois turnos no Senado até o fim do mês. Se isso não acontecer,o governo terá que interromper a cobrança a partir do início dopróximo ano. Mesmo diante das dúvidas sobre as reais chances deaprovação da proposta, Lula disse que não trabalha com opossibilidade de ficar sem a CPMF a partir de 2008. "Confesso que eu não penso na possibilidade de não ter esseimposto." E insistiu: "O que é importante saber é o seguinte:os beneficiários da CPMF são as pessoas mais pobres do país". (Reportagem de Renato Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.