Lula: morador de favela deve ser tratado como cidadão

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje, durante visita ao Complexo de favelas do Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro, que o governo federal investirá na capacitação de policias para que eles tratem os moradores de favela como cariocas cidadãos e não como bandidos. Após a fala do presidente, foram ouvidos na platéia de cerca de 700 pessoas gritos de "fora caveirão", numa referência aos carros blindados da Polícia Militar do Rio. "É preciso acabar com essa imagem de que tudo é bandido", discursou o presidente, queixando-se da imprensa. O presidente falou ainda de sua origem social e estimulou os jovens a não desistir de objetivos. "Eu sei o que é a vida de vocês." Lula participou de uma cerimônia de início das obras de urbanização do PAC em Manguinhos. Ao lado do governador Sérgio Cabral filho e de ministro, Dilma Rousseff (Casa Civil), Márcio Fortes (Cidades)e José Gomes Temporão (Saúde), o presidente afirmou que é preciso oferecer oportunidades ao jovens para vencer o crime. Ele disse ainda que as obras "não levaram guerra para quem já tem guerra."Como fez no complexo do Alemão, Lula apresentou a ministra Dilma Rousseff como "chefe" do PAC e aconselhou o governador Sérgio Cabral a visitar as obras mensalmente. Lula perguntou à platéia quantos presidentes já haviam visitado favelas no Rio e afirmou que os políticos só olham para os pobres em época de eleição, mas, depois de eleitos, só almoçam com banqueiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.