Lula manda ministro de Ciência e Tecnologia 'zerar' recursos

Presidente participou de inauguração de complexo industrial em Itapira, a 159 quilômetros de São Paulo

estadao.com.br,

22 de janeiro de 2010 | 13h55

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira, 22, que o País "aprendeu a andar para a frente" e pediu ao que o Ministério de Ciência e Tecnologia "zere" os recursos disponibilizados pelo governo. Lula esteve em Itapira, a 159 quilômetros de São Paulo, onde participou da inauguração das novas instalações do complexo industrial do laboratório farmacêutico Cristália.

 

Ao fazer um comentário sobre as notícias negativas sobre o governo, o presidente disse que "não adianta alguém pensar que esse país vai andar para trás. O País aprendeu a andar para a frente, a se desenvolver e a investir em tecnologia".

 

Lula discursou no mesmo palanque que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), pré-candidato da oposição à presidência. Durante o evento, Lula incitou o ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, a "zerar" os recursos disponibilizados pelo governo federal para a área de ciência e tecnologia.

 

"Vou cobrar o (ministro Sérgio) Resende que até o final de 2010 invista os R$ 41 bilhões que destinamos para o PAC de ciência e tecnologia", afirmou Lula durante a inauguração. "Nunca vi um governo que tenha recursos para investir em tecnologia e ciência e tem muita empresa que não vai lá pegar o dinheiro."

 

Também estavam presentes na inauguração em Itapira os ministros de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e da Saúde, José Gomes Temporão, e o senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

 

A Cristália é uma empresa de capital nacional que participou do desenvolvimento e da fabricação do princípio ativo do antirretroviral Efavirenz, medicamento utilizado para o combato ao HIV cuja patente foi quebrada pelo governo brasileiro em 2007.

 

Ao tomar a palavra, o governador José Serra relembrou o seu trabalho como ministro da Saúde durante a presidência de Fernando Henrique Cardoso. "Quando fui ministro, passamos a produzir no Brasil medicamentos contra a aids. Nós implantamos esse processo", lembrou. Serra reconheceu a continuidade desse trabalho pelo Ministério da Saúde no atual governo e afirmou que o País "tem a melhor campanha de enfrentamento à aids em todo o mundo".

 

Com informações da enviada especial Carolina Freitas, da Agência Estado, e da Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
LulaCristalidaHIVSerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.