ALE FRATA/CÓDIGO19
ALE FRATA/CÓDIGO19

'Lula Livre e Educação são pautas inseparáveis', afirma Gleisi

Presidente do PT participou de ato realizado neste domingo no centro de São Paulo

Paula Reverbel e Pedro Venceslau , O Estado de S. Paulo

02 de junho de 2019 | 19h49

 

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, disse neste domingo, 2, não haver uma separação entre a pauta do "Lula Livre" e as demais bandeiras da esquerda, como a da defesa da Educação. "Lula e educação são pautas inseparáveis. Essa moçada está indo às ruas pelo legado que ele deixou nesse País", disse a petista, uma das poucas lideranças do partido a estar presente no festival Lula Livre, que reuniu artistas no centro de São Paulo, mas não contou com discursos de políticos no palco.

"Para nós do PT, 'Lula Livre' é estratégico, nós achamos que não há salvação da democracia com Lula preso. Nós sempre levaremos a pauta do 'Lula Livre' junto com a pauta da defesa da educação", disse Gleisi. Perguntada se os partidos aliados também fazem a mesma associação, a ex-senadora respondeu que "muitos têm levado (uma agenda em conjunto coma outra)". Citou o PCdoB e o PSOL e afirmou que Calos Lupi, presidente do PDT, visitou Lula na prisão. 

Além de não contar com discursos políticos, o ato deste domingo não enfatizou nenhuma outra grande pauta da esquerda, como a defesa das instituições públicas de ensino e a oposição à reforma da Previdência. O Estado apurou que a organização de atos paralelos é uma estratégia da oposição para manter agenda de protestos pró-Lula sem que essa pauta isole quem não simpatiza com o ex-presidente da agenda anti-Bolsonaro.

Para Guilherme Boulos, que foi candidato do PSOL à Presidência da República no ano passado, as manifestações dos dias 15 e 30 de maio – contra o contingenciamento de recursos de instituições de ensino anunciado pelo governo Jair Bolsonaro – foram manifestações "com centro na luta pela educação". "Agora aqui é um evento pensado com o tema do Lula Livre".

Segundo Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, o evento deste domingo não conta com discursos por se tratar de um "ato lúdico". Ele disse ainda que os políticos com mandato ajudaram a fazer o contato com os artistas e a chamar público pelas redes sociais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.