Lula liga para Renan e diz que não aceita boicote a votações

Em telefonema ao presidente do Senado,Renan Calheiros (PMDB-AL), na noite de terça-feira, opresidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a ameaça do DEM(ex-PFL) de obstruir as votações no Congresso, disse uma fontedo Planalto. De acordo com essa fonte, Lula reagiu ao ser informado porRenan de que o líder do DEM, José Agripino (RN), anunciara aobstrução das votações para exigir o afastamento do presidentedo Senado. Renan responde a processo por quebra de decoro na Comissãode Ética e a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF). "O presidente Lula disse a Renan que, se a oposição partirpara essa atitude, vai reunir os líderes partidários e discutiro problema, porque o país não pode ser paralisado por causa deuma disputa no Senado", disse a fonte que conversou com Lula natarde desta quarta-feira. O presidente da República está em viagem a países daAmérica Central e tem acompanhado a crise política no Senadopor meio de relatos do ministro Walfrido Mares Guia, dasRelações Institucionais. Segundo a fonte do governo, na noite de terça-feiraWalfrido telefonou para Lula, que estava em Honduras, contouque o Senado havia aprovado cinco medidas provisórias e oprojeto do Supersimples, mas advertiu que Renan e Agripinohaviam travado uma discussão tensa em plenário. O próprio Renan contou a jornalistas nesta quarta terrecebido o telefonema de Lula, mas sem entrar em detalhes. "O presidente Lula me telefonou à noite. Vocês sabem quetenho com ele mais que uma relação política e partidária, masuma relação de amizade. Ele é meu amigo", frisou o presidentedo Senado. Acuado por denúncias, Renan tem procurado mostrar que teriaapoio político, inclusive do Planalto, para se manter no cargoao longo das investigações do STF e do processo no Conselho deÉtica. Em outra frente, Renan solicitou ao procurador-geral daRepública, Antonio Fernando Souza, abertura de investigaçãosobre o acordo do Grupo Abril com a Telesp para a transferênciade controle da TVA. O grupo Abril edita a revista Veja, que publicou asprincipais denúncias contra o presidente do Senado. Renan dizque as denúncias seriam "uma cortina de fumaça" para encobririrregularidades na transação com a TVA. A Anatel autorizou em julho, com restrições, a venda departe da TVA da Abril para a Telesp, exigindo mudança no acordode acionistas, para impedir que a espanhola Telefônica,controladora da Telesp, venha a ter concessões simultâneas detelefonia e de TV por assinatura em São Paulo. De acordo com parecer de um dos conselheiros da Anatel, onegócio envolve 922 milhões de reais e uma reestruturação dasempresas do grupo Abril que operam TV por assinatura em SãoPaulo, Rio de Janeiro e Sul do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.