Lula lança programa e diz que gerar emprego é obsessão

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, no lançamento do Programa Primeiro Emprego, no Palácio do Planalto, que a criação de empregos é um sonho, uma obsessão e uma determinação de seu governo. "Gerar empregos para todos é um sonho, uma obsessão e uma determinação do meu governo", afirmou, destacando a importância de o jovem ter a oportunidade do primeiro emprego. "A juventude brasileira vive hoje, provavelmente, o maior momento de angústia e incerteza que já viveu em todos os tempos". "Temos o compromisso de não permitir que o nacrotráfico, o crimeorganizado, possa conquistar o jovem ao invés de o Estado conquistá-lo". Ele disse que, daqui para frente, nas mais diferentes áreas do governo, terá sempre que ser pensado na oportunidade de criar um emprego para uma menina ou um menino. "Se nós levarmosisso a sério, estaremos dando às futuras gerações a certeza de que, algum dia neste País, a gente fez uma opção de investir naeducação e no emprego ao invés de construir prisões". Ele lembrou que o Ministério da Justiça está cheio de pedidos para construção de novas prisões. "E cada vez são mais prisões de segurança máxima, portanto cada vez mais se gasta para punir os criminosos. Se nós investirmos no emprego como na alfabetização, vamos constatar o óbvio, daqui a alguns anos, que era muitomais barato que investir nas prisões". Durante a solenidade, Lula assinou atos criando o Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego para os Jovens e abrindo um crédito de R$ 139 milhões para o Ministério do Trabalho investir no programa. O ministro do Trabalho, Jaques Wagner, anunciou na solenidade que já recebeu de empresas a oferta de mais de seis mil empregos para jovens, sem nenhuma contrapartida do governo federal. Pelo programa, as micro e pequenas empresas (com faturamento anual de até R$ 1,2 milhão) terão direito a receber, durante seis meses, a contribuição de R$ 200,00 por cada jovem que empregarem, assumindo o compromisso de manter o posto de trabalho pelo prazo de 12 meses. As médias e grandes terão contribuição de R$ 100,00 por emprego. Não haverá, entretanto, estabilidade no emprego por um período superior a um ano. Wagner disse que o programa é a abertura de oportunidade para que milhares de jovens, que hoje encontram portas fechadas pela falta de experiência, possam ter seu primeiro emprego, em parceria entre o governo federal, governos estaduais, as empresas privadas e a sociedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.