Lula justifica ajuste fiscal usando Mário Covas como exemplo

"O presidente da República não tem o direito de não acreditar, não tem direito de vender pessimismo e não tem direito de se deixar envolver por coisas menores das que não sejam os interesses da maioria do povo brasileiro." A frase foi dita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na inauguração da nova unidade de café solúvel da Nestlé em Araras (SP). Ao defender o seu governo, Lula citou duas vezes o governador de São Paulo Mário Covas (PSDB), morto em março de 2001. Primeiro ao lembrar do "sacrifício" que o tucano exercia ao combater a guerra fiscal. "O mesmo que fizemos na reforma tributária", disse. Depois falou sobre o ajuste fiscal feito no primeiro mandato de Covas. "Quero aproveitar que estamos no Estado de São Paulo para lembrar a todos os primeiros quatro anos do governador Mário Covas. Possivelmente grande parte dos políticos que estão aqui em fez críticas ou dizia que Mário Covas não gastava, não investia e só pensava no ajuste. Mas foi graças a coragem de fazer o ajuste que o Estado se recuperou economicamente", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.