Lula janta nesta segunda com Jobim, Sarney e João Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), participam hoje de um jantar na residência do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), que contará também com a presença dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Nelson Jobim, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edison Vidigal. Segundo o Palácio do Planalto, é um jantar em homenagem ao presidente do STF. Apesar do caráter social do encontro dos chefes dos três poderes, será uma oportunidade para os dois parlamentares discutirem com Lula o calendário de votações do Congresso e a conveniência de convocar ou não extraordinariamente o Legislativo durante o recesso de julho.O senador Sarney reafirmou ser contra a convocação extraordinária para a votação de projetos importantes. ?Não vi ninguém querendo a convocação?, disse o presidente do Senado. ?O sentimento da Casa e do próprio governo é de que se pudermos votar até a primeira semana de julho não terá necessidade de convocar o Congresso?, completou.Para Sarney, uma semana de esforço concentrado em julho seria suficiente para votar, pelo menos, três propostas que estão em pauta: a nova lei de falências, o projeto que trata das parcerias público-privadas (PPP) e a reforma do Judiciário. Mesmo que para isso sejam realizadas sessões deliberativas na segunda e sexta-feira, dois dias dedicados apenas a discussão em plenário. A líder do PT, senador Ideli Salvatti (SC), também se posicionou contra a convocação em julho, afirmando ter uma reação contrária em todos os partidos. ?Se houver será um desgaste para todos e acho que temos condições de trabalhar dentro de um esforço concentrado e estender os trabalhos até o dia 15 de julho?, afirmou, ressaltando que a maior parte dos projetos em discussão já ?está caindo de madura? na agenda do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.