Lula já negocia apoio do PTB para reeleição, diz Mares Guia

Apesar de negar constantemente sua candidatura para o pleito de 2006, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já negocia o apoio do PTB para a chapa petista que disputará as eleições de 2006. A informação foi confirmada pelo ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia (PTB-MG). De acordo com o ministro, as tratativas têm sido feitas diretamente com o presidente, mas, por enquanto, a negociação ainda é incipiente. "Nós estamos trabalhando com o presidente Lula. Acreditamos que tem que ser uma aliança e o governo não é do PT, é do presidente Lula", disse, antes de participar de uma reunião da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com representantes da área de turismo da região Norte.Um dos partidos mais atingido pelo escândalo do "mensalão", o PTB, segundo Mares Guia, tende a integrar a candidatura de Lula e voltar a participar de um eventual segundo governo. "(O PTB) apoiou o governo o tempo todo e não há razão para não continuar assim", afirmou, ressaltando que a "a tendência é de que essa negociação leve a um apoio do PTB a Lula."PesquisaA pesquisa da CNT/Sensus, divulgada ontem, mostra apenas uma melhora na avaliação da população da imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo análise feita hoje pelo ministro do Turismo. "A única coisa que a pesquisa mostra é que o presidente recuperou a imagem que ele tinha, de meses atrás, perante a opinião pública. Apenas isso", disse o ministro, tentando afastar qualquer entusiasmo eleitoral por conta da sondagem.Segundo Mares Guia, a melhora na avaliação do governo e do presidente se deve, primordialmente, aos programas sociais implantados no âmbito federal e a política econômica. "São dois fatores: A política social que se implantou, de fato, como uma política de Estado, diminuindo a desigualdade e buscando atingir as camadas mais pobres da população. O outro é o desenvolvimento do País", disse ele, que elogiou a condução da economia brasileira.Sem disfarçar o otimismo, o ministro avaliou também que a recuperação do presidente da República nas pesquisas eleitorais deve se repetir nas sondagens seguintes. "Tenho, pessoalmente, uma confiança que essa situação que apareceu agora vai, inclusive, melhorar por conta das políticas públicas que o Brasil Instalou."Mares Guia, no entanto, defendeu a cautela com que o assunto da reeleição tem sido tratado no Planalto. "Prudência e cautela só fazem bem. Já vi muita gente ganhar eleição antes da hora. Não se brinca com eleição, pois quem elege é o povo", concluiu.CríticasO ministro do Turismo respondeu as críticas da oposição à pesquisa CNT/Sensus e disse que os oposicionistas erram ao tentar desqualificar a sondagem. "Não adianta bater no termômetro se ele acusa febre. Esse é o mesmo termômetro que acusava há um tempo atrás uma situação de vantagem da oposição na próxima eleição e que agora acusa o contrário", afirmou o ministro, ressaltando que toda pesquisa sempre é contestada por alguém.Para Mares Guia, não deve ser dada à pesquisa, entretanto, importância maior do que o que ela realmente representa: uma fotografia do momento. "(Pesquisas) são apenas fotografias estáticas de um momento. A eleição é no dia 1º de outubro e é lá que será decidido tudo", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.