Lula: investimento busca tirar Rio das páginas policiais

Em discurso realizado durante a inauguração da estação do metrô General Osório, em Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os investimentos do poder público procuram acabar com o "retrato de desolação e abandono a que o Estado foi jogado nos últimos 50 anos" e que o Rio não ocupará mais apenas as páginas policiais dos jornais. "O Rio de Janeiro não recebe favor. Recebe o que outros governantes deveriam ter dado para não ocupar apenas a página criminal. O Rio não simboliza isso."

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

21 de dezembro de 2009 | 18h49

Lula saudou a inauguração do metrô "em um dos bairros mais chiques da cidade" como um fator de integração entre os moradores de classe média alta e aqueles que vivem nas favelas de Ipanema. Candidato a reeleição, o governador Sérgio Cabral (PMDB) recebeu contundentes elogios do presidente. "Que Deus permita que você continue governando por muitos e muitos anos o Estado do Rio." Lula afirmou que Cabral "é a figura que melhor encarna os interesses do povo do Rio de Janeiro, seja a classe média, a classe alta ou os trabalhadores".

O presidente embarcou com sua comitiva em um trem do metrô na nova estação e seguirá até o Maracanã. O trajeto que Lula percorre não é usual, pois no dia a dia os passageiros têm de fazer uma baldeação na estação do Estácio para chegar ao mesmo destino. Ainda hoje o presidente participará de uma solenidade do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), no Maracanãzinho, e de um jantar com empresários exportadores no Hotel Copacabana Palace.

Tudo o que sabemos sobre:
investimentosmetrôLulaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.