Lula interferiu para absolver Renan, diz Chico Alencar

O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) informou hoje não ter dúvidas de que o presidente Luís Inácio Lula da Silva atuou a favor da absolvição do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no plenário da Casa. "O Lula lá na Dinamarca, há algo de podre no reino do Brasil. Mas operando fortemente pela defesa do Renan. O PT trabalhou para defender o Renan e o esquema", disse. Ao relatar, no centro do Rio, o que assistiu, Alencar ainda contou ter se impressionado com o fato de que dos 19 senadores que usaram da palavra na sessão, 15 foram a favor da cassação do senador. A grande maioria - 62 senadores - permaneceu calada.O deputado também se disse surpreso com o voto do senador Aloísio Mercadante (PT-SP). "O Mercadante - para mim foi surpresa - também. Ele, todo falante, sempre cheio de intelectualidade, uma certa soberba, ficou quietinho lá mas andava muito no plenário. E no final confessou o voto neutro que não era neutro neste caso porque precisava 41 votos para cassar o Renan, foram 35 com seis abstenções. Foi a solução petista", disse.Alencar também acusou o senador fluminense Francisco Dornelles (PP-RJ) de ter feito uma defesa do presidente do Senado eminentemente política, apesar de dizer que faria uma "defesa técnica". Segundo o deputado do PSOL, Dornelles começou admitindo que senadores podem burlar o fisco. "Ele falou que não há provas e que, no máximo, se houve algum crime, foi um crime tributário e fiscal, que qualquer um daqui pode cometer. Se a gente cassar o Renan por causa disto, é um precedente perigoso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.