Lula inicia maratona de viagens para ajudar PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu início nesta quinta a uma maratona de viagens para fortalecer as campanhas do PT pelo País visando às eleições de outubro. Depois de passar o dia gravando para o programa político de candidatos petistas em São Paulo, Lula seguiu no final da tarde para o Rio de Janeiro para encontrar-se com o prefeito Eduardo Paes (PMDB). Candidato à reeleição, Paes compõe a chapa com o petista Adilson Pires como candidato a vice-prefeito.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

16 de agosto de 2012 | 17h45

O ex-presidente fará gravações em estúdio, mas pode atender a solicitação da campanha de Pires para aparecer em locais públicos. Ele se recupera de um câncer na laringe, mas foi liberado pelos médicos para viajar e fazer campanha. Nos dias 30 e 31 deste mês, Lula viaja para Belo Horizonte, em apoio à candidatura do ex-ministro Patrus Ananias, que disputa a prefeitura da capital mineira. No início de setembro, o ex-presidente vai a Recife. As duas capitais são consideradas estratégicas, juntamente com São Paulo, para os planos eleitorais do PT.

Os três candidatos - além de Patrus, Humberto Costa, de Recife, e Fernando Haddad, de São Paulo - estiveram nesta quinta com Lula no estúdio do publicitário João Santana para gravações da propaganda eleitoral na televisão e no rádio. Também participou das gravações o ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa, que concorre à prefeitura de Maceió. De acordo com Humberto Costa, o ex-presidente falou para as câmeras sobre os principais temas de cada cidade. Segundo ele, Lula irá a Recife duas vezes antes do primeiro turno. "Pernambuco é o Estado em que o ex-presidente tem a maior popularidade e ele sabe da importância de Recife para o PT", disse.

Costa não quis comentar as declarações do governador Eduardo Campos (PSB) de que a candidatura de seu candidato, Geraldo Júlio, venceu o primeiro round da disputa ao aparecer bem posicionado nas primeiras pesquisas. "O candidato do governador tem estrutura de visibilidade que há muito não se via em Recife, mas estamos na frente e, com o tempo no programa eleitoral e o apoio de Lula e da presidente Dilma (Rousseff) vamos crescer ainda mais", disse.

Em São Paulo, a participação de Lula na campanha de Haddad não terá eventos de rua, como carreatas e caminhadas. De acordo com o candidato petista, o ex-presidente deve participar apenas de comícios e atos com grande participação popular. "Vamos manter as gravações para a TV e, se tivermos condições de organizar atividades com cinco ou dez mil pessoas, vamos convidá-lo", disse Haddad. Um dos objetivos é preservar fisicamente o presidente, que ainda se recupera da doença. "O apoio na TV e no rádio é algo que funciona bem", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Lulacampanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.