Lula inaugura obra que é um dos trunfos eleitorais de Marta

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará amanhã, em São Paulo, seu segundo lance em prol do Partido dos Trabalhadores para as eleições municipais de 2004. Ele participa da inauguração do primeiro Centro Educacional Unificado (CEU) da prefeitura paulistana, em Guaianazes, na zona Leste da Capital. A obra é considerada um dos principais trunfos da prefeita Marta Suplicy, cuja candidatura à reeleição foi lançada em abril último pelo próprio presidente. Até o final do ano, a administração municipal pretende inaugurar outras 20 unidades semelhantes. A permanência no comando da maior cidade do País está entre as prioridades do PT para as eleições do ano que vem. A estratégia do partido para o próximo pleito começa a ser traçada em agosto, mês em que a legenda deve organizar um seminário para definir o estilo de comunicação a ser adotado. A intenção do partido, como explica o presidente nacional do PT, José Genoino, é trabalhar cuidadosamente para ampliar o número de prefeituras conquistadas na disputa anterior. Atualmente, o PT governa 188 municípios. Apesar da queda da popularidade da prefeita Marta Suplicy, indicada em pesquisas de opinião, o PT está confiante em nova vitória na capital paulista. "Não resta sequer uma dúvida; Marta Suplicy vai disputar à reeleição", assegura Genoino, ao rebater as especulações segundo as quais o partido poderia lançar outra candidatura diante do atual desgaste de Marta. As esperanças do partido se concentram nas obras do governo municipal. No final de junho, ao anunciar a candidatura de Marta à reeleição, o secretário de Governo Rui Falcão estimou em R$ 1,1 bilhão o montante a ser investido em obras municipais até o final do atual mandato da prefeita, nas áreas de habitação e transporte. O cálculo não incluía os 21 CEUs, orçados entre R$ 11 milhões e R$ 15 milhões. O de Guaianazes, denominado CEU Jambeiro, a ser inaugurado por Lula, foi construído em apenas sete meses e custou R$ 13 milhões. Com 42 mil metros quadrados, terá capacidade para 2.460 alunos.Com o partido estressado pelo debate em torno da reforma da Previdência e o governo Lula sofrendo os primeiros desgastes decorrentes das exacerbações dos movimentos sociais, os petistas querem evitar que as eleições municipais acirrem as disputas internas e agreguem novos focos de tensão à rotina da legenda. Por isso, ganhou maior relevância a diretriz de evitar a realização de prévias no maior número de cidades possível. O processo só deverá ser utilizado quando realmente não houver acordo. "A ordem é evitar a guerra. Vai ser preciso muito cuidado para que a prévia não sangre o PT", avalia Genoino. O PT pretende centrar foco nos municípios com mais de 100 mil eleitores, principalmente as capitais, onde a unidade do partido pode ser um fator decisivo para enfrentar um pleito em que as crescentes críticas do PSDB ao governo Lula sinalizam uma disputa com caráter plebiscitário. Em algumas outras cidades, o PT já conhece, "de cor e salteado", os nomes dos que vão representar o partido. No entanto, devido à antecedência do pleito, os petistas preferem ser cautelosos. Entre os municípios considerados prioritários para o partido, estão as capitais. Genoino cita Curitiba, Vitória, Salvador, João Pessoa, Fortaleza, Rio Branco, Belém, entre outras.Duas cidades do ABC também terão atenção especial do partido. Desta vez, o PT não quer perder a chance de conquistar as prefeituras de São Bernardo do Campo e São Caetano. Em São Bernardo, o mais forte candidato à disputa é o deputado Vicente Paula da Silva, o Vicentinho. No interior paulista, São José dos Campos também está entre os municípios cobiçados pelo PT. Lá, quem deverá representar o partido é o deputado estadual Carlinhos de Almeida. Também no interior, o PT, apesar de reconhecer as dificuldades locais, pretende concentrar esforços para não perder o comando de Campinas. A cidade é atualmente governada pelo partido, com Izalene Tiene. Ela, que era vice-prefeita, assumiu a Prefeitura da cidade com a morte de Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT, assassinado em 10 de setembro de 2001. "Não podemos perder uma prefeitura tão importante", diz Genoino. Se depender da direção do PT, ele avisa que Izalene será candidata à reeleição.

Agencia Estado,

31 de julho de 2003 | 12h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.