Lula impõe condições para o envio de tropas ao Haiti

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou hoje que o envio de tropas do Brasil nas forças de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti estará condicionado ao "efetivo engajamento da comunidade internacional com a reconstrução" daquele país. No último dia 9, o ministro da Defesa, José Viegas Filho, anunciou que o Brasil fora convidado pela ONU para comandar os trabalhos da força de emergência e antecipou que 1.470 homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica estavam em preparo para a missão. Na ocasião, o governo brasileiro não impusera nenhuma condição."O Brasil anunciou sua disposição de integrar a missão das Nações Unidas para restabelecer a paz no Haiti. Mas a responsabilidade da comunidade internacional não pode parar por aí", afirmou Lula, durante discurso na cerimônia de formatura de novos diplomatas, no Itamaraty. ?O nosso oferecimento para comandar essa missão estará condicionado ao efetivo engajamento da comunidade internacional com a reconstrução do Haiti. Nossa missão só terá sentido se estiver em estreita sintonia com os países da região (do Caribe)", completou.O convite da ONU ao Brasil foi respaldado pela França, Estados Unidos, Peru, Argentina, Chile e pela Comissão da União Européia. Em princípio, as forças de emergência terão a incumbência de restabelecer a paz e de acompanhar e dar o apoio ao processo eleitoral no Haiti, país que atravessou um período de turbulência política antes e depois da queda do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide. Em parte, o convite ao Brasil está relacionado à presença no País no Conselho de Segurança da ONU, como membro não-permanente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.