Lula ignora protestos da viúva de Toninho do PT

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ignorou os protestos da viúva do ex-prefeito de Campinas, Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT, e também suas promessas feitas durante a campanha de que o governo federal iria assumir as investigações do assassinato, ocorrido no dia 10 de setembro de 2001. Durante o seu discurso na inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto do Córrego Piçarrão, Lula citou Toninho apenas uma vez e somente para lembrar que sua sucessora, a atual prefeita Izalene Tiene, assumiu o governo após um crime bárbaro e que ela foi vítima de injustiça por ser mulher.O presidente admitiu ainda a existência de divergências dentro do seu partido, como ocorre na própria cidade de Campinas, na qual a sigla está dividida ? há a ala do ex-prefeito morto e outra da atual prefeita. "Sei como é difícil governar quando há incompreensão dentro da casa da gente. Sei que os seus sucessores, Izalene, irão dar continuidade ao que você tem feito pela cidade"Lula fez campanha para o deputado federal Luciano Zica (PT-SP), candidato a prefeito pelo partido em Campinas e que estava proibido, pela legislação eleitoral, de aparecer na inauguração. "Pena que, por questões políticas, o companheiro Zica não possa estar no palanque, mas não posso deixar de agradecer a ele e aos outros deputados que estão fazendo um momento novo na história do Brasil"O presidente, que estava acompanhado dos ministros Ricardo Berzoini (Trabalho), Olívio Dutra (Cidades), Marina Silva (Meio Ambiente) e do presidente da Câmara, João Paulo Cunha, seguiu depois para uma visita à fábrica da Samsung; ele encerrará sua visita em um almoço com empresários e políticos na comemoração do aniversário de 230 anos de Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.