Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Lula ignora crise e anuncia ?maior programa social do planeta?

O presidente Luiz InácioLula da Silva fez em discurso na periferia de Belém, uma defesa da política social de seu governo e criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a imprensa e "os adversários" que, segundo ele, "estão incomodados". Lula anunciou, também, que, até o fim deste ano, 6,5 milhões de famílias serão atendidas pelo programa Bolsa-Família e que este número crescerá para 11 milhões até o final de seu mandato. "Será o maior programa social do planeta Terra", disse o presidente, que evitou comentar a crise no governo.Segundo Lula, este ano o governo federal vai gastar R$ 5,335 bilhões na ajuda a famílias carentes o que, segundo ele, corresponde a três vezes mais do que o que foi gasto em 2002, pelo governo que o anteced eu. "De vez em quando, a gente vê nos jornais que a economia está bem, mas a política social não está bem. Mas eu vou dar um dado: em 2001, entre todos os planos sociais do governo federal, foram gastos R$ 856 milhões e, em 2002, R$ 2,206 bilhões. E nós, neste ano, vamos gastar R$ 5,335 bilhões", afirmou. Lula voltou a afirmar que seu governo está priorizando as plantas estruturais do País e a economia terá de voltar a crescer para gerar novos empregos.Dirigindo-se ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PT), o presidente prom,eteu que seu o governo fará "muito melhor do que tudo o que já foi feito neste País". Ele citou a obra de urbanização que estava visitando. "Isso aqui incomoda tanto alguns adversários nossos", afirmou. "De repente, eles ficam dizendo: ´não é possível que esses meninos, que chegaram ao poder, vão fazer tudo aquilo que nós não conseguimos fazer". Num discurso em clima de campanha política, Lula anunciou a homologação da reserva indígena de Mundurucu, no Pará, com área de 2,380 milhões de hectares. Ele criticou as pessoas que afirmam que o poder público dá muita terra para pouco índio. "A gente tem que lembrar que o Brasil era todinho deles, e tomaram a terra deles", disse. "Só estamos fazendo justiça".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.