Lula homenageia Getúlio em discurso no RS

Presidente lembra o 'pai dos pobres' e diz que com CLT ele acabou com semi-escravidão

SANDRA HAHN, Agencia Estado

24 de agosto de 2007 | 19h55

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva dedicou grande parte de seu discurso em Porto Alegre para homenagear o ex-presidente Getúlio Vargas, cuja morte completa 53 anos hoje. Ao defender que o dia de hoje não pode ser esquecido pelos brasileiros, avaliou que a história de um País não é contada em função das intenções, mas de fatos. "Se Getúlio Vargas não tivesse feito nada nesse País, apenas feito a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), já teria sido o presidente da República que tirou toda uma nação de um estágio de semi-escravidão", declarou Lula, citando que a medida concedeu direitos à população. Lula criticou radicalismos de empresários ou sindicalistas e pediu uma discussão sobre o que é possível adaptar "à nova realidade do mundo do trabalho". O presidente disse considerar impossível que, após 53 anos, não haja necessidades de mudanças na legislação trabalhista. "Eu sou um homem aberto a essa discussão, mas aqueles que divergem não têm o direito de passar uma borracha na história do País", complementou. Lula enumerou órgãos e empresas criados durante o governo Vargas, como o BNDES, Petrobras, Companhia Siderúrgica Nacional e Companhia Vale do Rio Doce, entre outros. Depois de Vargas, os presidentes fizeram proporcionalmente "muito menos", na avaliação de Lula. "Ele fez tanta coisa que nós até temos o direito de discordar. Agora, tivemos tantos presidentes que não fizeram nada que a gente nem lembra que foram presidentes da República", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.