Lula homenageia faxineiro como exemplo para o Brasil

Foi um gesto que mereceu o reconhecimento do presidente da República. O faxineiro do Aeroporto de Brasília Francisco Basílio Cavalcante, 55 anos, recebeu hoje à tarde, no Palácio do Planalto, homenagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter devolvido a um turista suíço uma bolsa com US$ 10 mil e mais R$ 200, no início deste mês. Com salário de R$ 370 e contas vencidas de energia e água, Cavalcante encontrou a bolsa quando limpava o banheiro do aeroporto. Depois de verificar o que tinha dentro, ele entregou a bolsa ao departamento administrativo do terminal, que localizou o dono pelo serviço de som. O turista, espantado com a devolução da bolsa, chegou a procurar o faxineiro para agradecer, mas não o encontrou. Na audiência, Lula disse que a atitude de Cavalcante era um "exemplo para o Brasil". "Mas o suíço não deu nenhuma recompensa?", perguntou o presidente ao faxineiro. "Só espero, presidente, que lá fora eles façam o mesmo com os brasileiros", disse Cavalcante. Lula recomendou ao presidente da Infraero, Carlos Wilson, presente ao encontro, que incorpore o faxineiro ao quadro da empresa. Atualmente, Cavalcante trabalha numa empresa que presta serviços no aeroporto. Em entrevista ao final da audiência, o faxineiro relatou que os amigos perguntaram por que ele não usou o dinheiro para pagar as contas atrasadas e não viajou para Sobral, no Ceará, onde nasceu. "O Carlos Wilson pode arrumar passagens de avião para eu viajar", respondeu. Após encontro com Lula, Cavalcante seria recebido pelo ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, que foi criado em Sobral. O faxineiro quer trabalhar na Infraero, onde o menor salário é de R$ 700, mas pediu que continue limpando banheiros do aeroporto. "Afinal, muita gente vai continuar esquecendo bolsas lá", disse. "Se todos fizessem igual a mim tudo seria melhor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.