Lula: Hillary deve tratar questão do Irã com Amorim

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou hoje a defender o diálogo com o Irã. Durante rápida entrevista dada após o lançamento do Portal Brasil, e questionado sobre a reação que teria diante de um possível apelo da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, para a imposição de sanção ao Irã, Lula disse que Hillary não deve pedir nada a ele. Segundo o presidente, se a secretária dos Estados Unidos tiver que fazer algum pedido neste sentido ao Brasil, que seja ao ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, pois ele a está recebendo a pedido do ministro. "Negociação é com o Celso", disse.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

03 de março de 2010 | 12h42

Questionado sobre as sanções que o mundo pede ao Irã, Lula advertiu: "Não é prudente encostar o Irã na parede. É preciso estabelecer negociações com aquele país. Quero para o Irã o mesmo que quero para o Brasil: usar energia nuclear para fins pacíficos. Se o Irã for além disso, não poderemos concordar", disse. "O Brasil entende que é possível construir um outro rumo, conversando." Segundo o presidente, se tem um país que pode dar lição ao mundo sobre paz, este país é o Brasil. "Porque a exercitamos (a paz) com galhardia", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.