Lula: governo não teve participação na venda da Varig

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou hoje que tenha havido tráfico de influência do governo durante o processo de venda da Varig. Em entrevista no Palácio do Planalto, o presidente disse que a negociação foi toda acompanhada pela Justiça. "O governo não teve nenhuma participação, porque a Justiça assumiu para si", disse Lula. A uma pergunta sobre a influência de seu amigo e compadre, o advogado Roberto Teixeira, na operação de venda da empresa, Lula voltou a afirmar que a denúncia é "abominável". "Eu já disse uma vez e vou repetir agora, que é uma denúncia abominável, porque este processo começou com o juiz e terminou com o juiz", afirmou. O presidente disse que o juiz da Primeira Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayub, responsável pelo processo, tem dado entrevistas sistematicamente para esclarecer o caso. Ontem, em depoimento na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Denise Abreu acusou o advogado Roberto Teixeira de ter interferido de maneira "imoral e até ilegal" na compra da Varig pela Gol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.