Lula garante recursos para Forças Armadas

Em discurso para militares, presidente diz que plano de reequipamento [br]será possível porque situação econômica do País está muito melhor

Tânia Monteiro, O Estadao de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou ontem que na quinta-feira, em reunião do Conselho de Defesa, o ministro da pasta, Nelson Jobim, apresentará o Plano Nacional de Defesa. Ao discursar em reunião de fim de ano com os militares, Lula disse que o Brasil é líder na região e o plano permitirá que o conjunto do governo veja as Forças Armadas como peça extremamente importante para que o Brasil continue sendo exemplo de paz, de concórdia e de país em desenvolvimento na América do Sul."Conseguimos unanimidade para construir um Conselho de Defesa na América do Sul e estamos trabalhando seriamente para criar unidade na América do Sul, através da Unasul. Estamos trabalhando como nunca para que o Brasil jogue o seu papel, como maior economia, como maior nação da América do Sul, na política de solidariedade para ajudar os países vizinhos a se desenvolverem", disse.Lula destacou que está sendo possível lançar o plano estratégico, que prevê o reequipamento das Forças, porque a situação econômica do País melhorou sob sua gestão. "Aprendemos desde pequenos que, em casa que não tem pão, todo mundo briga e ninguém tem razão."Com o discurso, ele deu uma satisfação aos militares, que têm se queixado pelo atraso no reequipamento das Forças. O comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, que falou em nome também da Marinha e do Exército, pediu atenção às aspirações, "bem como a sensibilidade e compreensão no tocante aos legítimos anseios da caserna".O presidente não entrou em detalhes sobre o que será renovado com o plano de reequipamento ou a partir de quando entrará em execução. "Nossa economia cresce, a distribuição de renda acontece e nós estamos, mais seriamente do que nunca, pensando na reestruturação daquilo que é a garantia do nosso País, que são as Forças Armadas."SARKOZYJobim recebeu ontem em seu gabinete o ministro da Defesa da França, Hervé Morin, que está no Brasil para os acertos finais do acordo de cooperação militar que será assinado entre os dois países, no dia 22, durante visita do presidente Nicolas Sarkozy. Durante a assinatura do acordo, deve-se anunciar a compra do submarino francês Scorpene, com transferência de tecnologia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.