Lula frisa atenção à infraestrutura e alfineta oposição

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na noite desta quinta-feira, 13, em seminário em homenagem aos 10 anos do PT no poder, em Curitiba, que o Brasil é um dos países do mundo que mais investe em infraestrutura. "Poucos países do mundo, talvez só a China, têm investido em infraestrutura como o Brasil", disse Lula em discurso transmitido pelo site do Partido dos Trabalhadores (PT). O ex-presidente citou os programas de licitações de portos e aeroportos lançados recentemente pela sua sucessora Dilma Rousseff e os investimentos previstos pela Petrobras no pré-sal.

CARLA ARAÚJO E ROBERVAL ANGELO SCHINCARIOL, Agência Estado

13 Junho 2013 | 21h52

O seminário, intitulado "O Decênio que Mudou o Brasil", é realizado pelo PT, pelo Instituto Lula e pela Fundação Perseu Abramo. Para a plateia de petistas, Lula declarou que "nenhum país do mundo tem uma perspectiva de futuro como o Brasil". Para ele, nenhuma nação está gerando a quantidade de empregos que o Brasil vem gerando. "Eu jamais imaginei estar vivo para vivenciar o Brasil com uma taxa de desemprego de 5,5% ao ano."

O ex-presidente aproveitou a ocasião para criticar a oposição, que, segundo ele, está enfraquecida e reclama da inflação sem razão. "Hoje (a inflação) é 5,8% ao ano. A ''deles'' chegou em 70% ao mês. Quando eu ganhei a Presidência era 14%", afirmou. Lula discorda da avaliação da oposição sobre a economia. "Eu gostaria de saber, qual é a preocupação e a desconfiança que eles têm da economia brasileira? Qual é o problema que eles têm?", provocou.

Lula também criticou as agências de classificação de risco, dizendo que parecem avaliar "risco de especulação". "Nós temos gente no governo que tem competência para tomar as decisões corretas", afirmou. Ele ainda citou o recém-lançado Programa Minha Casa Melhor, que prevê financiamento para móveis e eletrodomésticos, afirmando que não entende a preocupação dos adversários. "Quem incomoda eles? Será que é financiar geladeira, móvel, fogão? O que eles querem?", indagou.

Mais conteúdo sobre:
Lula Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.