Lula firma acordo para beneficar sacoleiros de Cabo Verde

Na última escala de sua viagem à África, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva firma, nesta quinta-feira, com o governo de Cabo Verde acordos que vão facilitar a vida dos "sacoleiros" e "camelôs" do país que compram muamba, móveis e materiais de construção no Nordeste brasileiro. Atualmente, os "sacoleiros" cabo-verdianos só dispõem de uma linha aérea por semana da cidade de Sal para Fortaleza. A meta é criar novas linhas aéreas, como Sal-Salvador, e conexões marítimas, que atenderiam principalmente os "rabidantes", como são chamados os comerciantes informais do país africano no dialeto crioulo.Lula chegou na tarde desta quarta a Praia, capital de Cabo Verde, onde foi condecorado pelo governo local com a medalha Amilcar de Castro, herói da independência da ex-colônia portuguesa. "É um antídoto para o fatalismo daqueles, africanos e estrangeiros, que preferem considerar a África o ?continente perdido? e não perguntar o que realmente pode ser feito", disse Lula num jantar oferecido pelo presidente Pedro Pires, que estudou no Brasil e foi eleito por uma diferença de apenas 12 votos. Dados do Itamaraty indicam que o intercâmbio comercial entre os dois países é de US$ 7 milhões por ano, um valor considerado pequeno. "O próximo passo será consolidar a ligação marítima, comprovando, cada vez mais, que o Atlântico pode ser uma ponte a unir o Brasil e a África", disse Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.