Lula faz suspense em três ministérios e não troca Pires agora

Com a reforma ministerial praticamente definida, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém em suspense a oficialização de três nomeações: a do Ministério dos Transportes, oferecido ao senador Alfredo Nascimento (PR-AM); a da Previdência, para a qual o indicado é Carlos Lupi (PDT-RJ), e a do Desenvolvimento Agrário, disputado por correntes do PT. Em conversa com políticos aliados na quinta-feira, Lula descartou a possibilidade de incluir o ministro da Defesa, Waldir Pires, na reforma em curso. Mesmo planejando uma mudança de perfil na Defesa, e apesar de já ter feito sondagens para o cargo, Lula disse que não vai tirar Pires da função num momento em que o ministro é atacado pela crise no setor aéreo. A substituição de Pires deve mesmo ficar para outro momento, avaliam estes interlocutores. Na quinta-feira, Lula confirmou o deputado Reinhold Stephanes (PMDB-PR) no ministério da Agricultura. Ele toma posse nesta sexta-feira, junto com a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, no Turismo, e Walfrido Mares Guia, nas Relações Institucionais. Reforma demoradaA posse de Alfredo Nascimento nos Transportes chegou a ser anunciada para a sexta-feira pelo chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, mas acabou não se confirmando. O PR protestou contra a criação de uma nova Secretaria de Portos, desmembrada dos Transportes, a ser entregue ao PSB. Na conversa com os aliados, Lula confirmou sua intenção de criar a nova secretaria, para a qual já teria convidado o ex-ministro da Integração Nacional, Pedro Brito. O convite ao presidente do PDT, Carlos Lupi, para a Previdência foi feito pelo ex-ministro da Integração Nacional, Tarso Genro, há uma semana, mas até agora não foi oficializado por Lula. O PDT entrou "em fase de observação", segundo um auxiliar de Lula, devido ao apoio de deputados do partido à tentativa de criação da CPI do Apagão Aéreo. Na quarta-feira, atendendo orientação do próprio Lupi, a bancada do PDT, em peso, ajudou o governo a barrar a CPI no plenário da Câmara. A nomeação, contudo, continua aguardando a palavra final de Lula. Para o Ministério do Desenvolvimento Agrário, Lula recusou duas indicações da tendência petista Democracia Socialista: o deputado Walter Pinheiro (BA) e o dirigente da executiva Joaquim Soriano. O ex-ministro Miguel Rossetto, da mesma tendência, recusou-se a voltar ao cargo. Lula pode manter o atual ministro Guilherme Cassel, mas ainda analisa duas indicações: o deputado Pedro Eugênio (PT-PE), apoiado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e o presidente do Incra, Rolf Hackbart, apoiado pelo MST.Ministério da Comunicação SocialO jornalista Franklin Martins aceitou na quinta-feira, 22, o convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ser o ministro encarregado da área de comunicação social do governo. O formato da nova estrutura de comunicação do Planalto - que reunirá algumas áreas - será definido até a próxima semana, quando Franklin tomará posse. O jornalista vai cuidar de relações com a imprensa, publicidade e também do projeto de uma rede nacional pública de TV. O jornalista não quis dar detalhes sobre a função, mas confirmou ter sido recebido em audiência no Planalto no final da tarde. "Tive hoje uma segunda conversa com o presidente e aceitei o convite", disse Franklin à Reuters. O convite ao jornalista foi feito pela primeira vez durante uma conversa com Lula na primeira quinzena do mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.