Gabriela Biló|Estadão
Gabriela Biló|Estadão

Lula fará defesa em evento do PT

Tom adotado pelo ex-presidente em reunião nesta quinta-feira, 15, será emocional; petista está convencido de que Lava Jato tem objetivo de desconstruir sua imagem e barrar eventual candidatura dele ao Planalto, em 2018

Ricardo Galhardo e Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2016 | 05h00

BRASÍLIA - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará nesta quinta-feira, 15, sua própria defesa política, ao abrir a reunião do Diretório Nacional do PT, em São Paulo. O tom adotado será emocional, não jurídico. Lula está convencido de que a Operação Lava Jato tem o objetivo de desconstruir sua imagem, acabar com o PT e barrar uma eventual candidatura dele ao Palácio do Planalto, em 2018, tornando-o “ficha suja”.

O ex-presidente recebeu as primeiras notícias sobre a denúncia durante o almoço em um hotel na zona sul de São Paulo. Segundo pessoas que compartilharam a mesa, o petista ficou irritado com a inclusão da ex-primeira-dama Marisa Letícia. 

Lula participou ontem de uma reunião do Conselho da Presidência do PT. O próprio ex-presidente tocou no assunto de forma lateral durante a reunião. Alguns participantes defenderam que ele assuma o comando do PT como forma de dar unidade e orientação para o partido na oposição ao governo Michel Temer. Lula declinou com dois argumentos. O primeiro é a necessidade de renovação da sigla. O segundo, a possibilidade de ser alvo da Justiça, o que atingiria também o partido. 

Para o presidente do PT, Rui Falcão, a denúncia é parte de uma perseguição a Lula com o objetivo de impedir sua candidatura em 2018. “É uma denúncia que já era esperada, que já tinha sido antecipada neste processo de tentativa de criminalização do Lula e da sua interdição futura.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.