Lula expressa temor de que a crise afete conquistas da A.Latina

O presidente Luiz Inácio Lula daSilva expressou nesta quinta-feira ao primeiro-ministrobritânico, Gordon Brown, a preocupação de que a crise econômicanorte-americana afete as conquistas socioeconômicas da AméricaLatina. Ao abordarem a crise que atingiu todos os mercados, emtelefonema do premiê, Lula manifestou seu temor de repercussõesna América Latina. "O presidente Lula expressou a Gordon Brown a preocupaçãoque ele tem de que essa crise não atinja as conquistas queforam realizadas recentemente pela América Latina nodesenvolvimento econômico e social", disse o porta-voz daPresidência, Marcelo Baumbach. Segundo o porta-voz, Brown também se disse preocupado comos desdobramentos da crise e mencionou a criação de umorganismo internacional para antecipar esse tipo de crise, "oschamados early warnings". No telefonema de 15 minutos, Gordon Brown pediu a Lula umesforço adicional para o sucesso da Rodada de Doha e obtevecomo resposta a sugestão de um reunião de líderes que possasuperar os desgastes dos debates técnicos. Brown propôs umencontro com o presidente brasileiro, em Londres, durante aConferência sobre Governança Progressista, em abril. O premiê apontou uma nova oportunidade para acordo com osdocumentos de negociação a serem apresentados no início defevereiro. O premiê britânico busca um entendimento para ocomércio de produtos industrializados e pediu empenho doBrasil. Lula expressou seu compromisso pelo sucesso da Roda deDoha, mas ressaltou que a abertura aos produtosindustrializados exige a contrapartida da redução dos subsídiosagrícolas, principalmente os norte-americanos. Os dois líderes ficaram de conversar separadamente com opresidente dos Estados Unidos, George W. Bush, para sondar suareação à subsídios limitados à faixa de 13 bilhões de dólares. (Texto de Mair Pena Neto, Edição de Alexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.