Lula exalta trabalho da Petrobrás e diz ser motivo de 'orgulho nacional'

O presidente afirmou que a empresa é a garantia de que o País 'será uma grande nação'

Luciana Nunes Leal, Kelly Lima e Nicola Pamplona, de O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2010 | 15h34

RIO - Em visita à plataforma do campo de Tupi, na Bacia de Santos, onde deu início à exploração comercial do pré-sal, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse, em discurso para funcionários, que a Petrobrás e seus funcionários são o maior orgulho nacional. "Quando a gente quiser ter orgulho de alguma coisa neste País a gente lembra da Petrobrás, de seus engenheiros, de seu geólogos, do pessoal que é a razão maior do orgulho, mais do que o Carnaval, do que o futebol".

 

O presidente exaltou a qualidade dos técnicos da estatal. "A Petrobrás é a certeza e a convicção de que este País será uma grande nação", disse. Lula afirmou que o Brasil "jogou fora o século XX" porque não soube aproveitar as oportunidades. "O século XXI é inexorável, é o século do Brasil e da América Latina", disse.

 

O presidente fez uma visita à plataforma e foi informado que os técnicos batizaram de "Marco Lula" a área no fundo do mar onde foram detectados nove "dedos" que é como se chamam os picos geológicos. Em alusão aos nove dedos do presidente, a área recebeu o nome de Lula. "Fico muito feliz de ser lembrado e de ter meu nome ligado a uma coisa que, para mim, é sagrada", agradeceu o presidente. Para Lula, a Petrobrás é "a prova mais contundente de que o brasileiro é capaz, é inteligente, não é de segunda classe".

 

Bem-humorado, Lula contou que adiou a visita à plataforma por medo de enfrentar trezentos quilômetros a bordo de um helicóptero, mas que não poderia deixar de fazer a visita até o fim do mandato. "Tentei vir no navio porta-aviões, comendo um churrasquinho, mas não deu. Ele está consertando há muito tempo. Ontem fiz aniversário e bebi menos do que eu devia porque hoje precisava estar inteiro para fazer esta viagem. Eu jamais ia deixar meu mandato sem colocar meus pés em Tupi para ver esta coisa que é a consagração dos nossos filhos, netos, bisnetos e do Brasil como um todo. É o começo de uma nova era no nosso País", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.