Lula evita manifestantes em encontro com Kirchner

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou confrontar-se com manifestantes que protestavam na porta do hotel Copacabana Palace, onde acontece o encontro bilateral Brasil-Argentina. Lula chegou às 21h e entrou pelos fundos do hotel,apesar de tudo ter sido feito para que ele usasse a entrada principal: o trânsito na Avenida Atlântica foi interrompido e um cordão deisolamento foi montado. A imprensa foi informada de que haveria uma pequena parada de Lula para fotos, mas isso não aconteceu.O presidente chegou acompanhado dos ministros da Fazenda, Antônio Palocci, do Planejamento, Guido Mantega, das Minas e Energias, Wilma Roussef, e das Relações Exteriores, Celso Amorim. A programação previa um jantar oferecido por Lula e a primeira-dama, dona Marisa Letícia, para o presidente argentino, Néstor Kirchner, e sua mulher, Cristina.Ao saberem que Lula tinha evitado enfrentar o protesto, os manifestantes o chamaram de ?covarde? e pediram: ?Sua excelência; ô,presidente; desce um pouquinho pra falar aqui com a gente?. O grupo vaiou com insistência e repetiu a palavra de ordem ?Eu votei errado, votei no Lula e fiquei desempregado?. Depois da chegada do presidente, policais do Batalhão de Choque da PMcercaram a entrada do Copacabana Palace.Os manifestantes se concentraram a menos de 20 metros da entrada principal do hotel, um dosmais sofisticados e tradicionais da cidade. Desde cedo, havia dois grupos protestando: empregados de bingos fechados por determinação dogoverno e policiais federais em greve. As duas manifestações, porém, não se misturaram. Enquanto os bingueiros ocuparam o espaço imediatamente à frente da entrada do hotel, os policiais federais permaneceram no canteiro central da Avenida Atlântica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.